Os laboratórios de informática agora são hacklabs: veja como funciona

Por em
Os laboratórios de informática agora são hacklabs: veja como funciona

Você sabe o que é hacklab? Em primeiro lugar, saiba que o termo nada tem a ver com crimes cibernéticos. Neste caso, ninguém vai invadir sistemas de computadores ou fazer outras operações ilegais. O laboratório de hacker nada mais é do que a reunião de pessoas com interesse em tecnologia que se unem para aprender e compartilhar conhecimento sobre assuntos tecnológicos. 

Dentre os temas abordados entre os ‘hackers’ estão: programação, segurança cibernética e outras áreas afins.  Tudo é discutido e analisado de forma ética, visando melhorias e o desenvolvimento de novas tecnologias que permitam solucionar diferentes problemas relacionados a sistemas de computadores, redes e dispositivos eletrônicos com o propósito de melhorar a segurança, a eficiência e o funcionamento geral de softwares.

Hacklabs podem oferecer workshops, palestras, sessões de treinamento e uma variedade de atividades relacionadas à tecnologia.  Em resumo, um hacklab é um espaço de colaboração onde entusiastas da tecnologia se reúnem para compartilhar conhecimento, aprender, experimentar e explorar tecnologias, frequentemente com foco na segurança cibernética e na ética.

Hacklabs nas escolas e universidades

Debater e pensar em soluções tecnológicas são tão importantes que muitas escolas e universidades criaram o seu próprio Hacklab. Nesses espaços, os estudantes aprendem a analisar de forma estratégica soluções tecnológicas que atendam diferentes áreas do saber, social, segurança cibernética, saúde, dentre outras. 

Além da inovação propriamente dita, o objetivo é também unir a tecnologia para melhorar fazeres manuais. Ao adotar o hacklabs, as escolas incentivam os alunos a pensarem de forma estratégica, proporcionando um aprendizado imersivo.  

O espaço também ajuda na reflexão sobre as origens de determinados materiais e como a tecnologia contribui para modernizá-los e torná-los mais acessíveis. A metodologia incentiva a criatividade dos estudantes, por meio de conteúdos educativos, experiências digitais, design, uso de materiais manuais, como ferramentas. Tudo isso se conecta no hacklab, tornando a educação mais completa e pensante. 

O Projeto da Escola Gracinha

Um exemplo de sucesso do hacklabs é a Escola Nossa Senhora das Graças (Gracinha), que possui um espaço de reflexão e fazeres. Lá, os alunos têm contato com ferramentas manuais e tecnológicas e aprendem a pensar em diferentes soluções para problemas diversos. 

Localizada na capital paulista, o Gracinha adotou a metodologia “mão na massa”. Com isso, o seu Hacklab conta com uma arquitetura funcional para que os estudantes possam criar seus projetos livremente. 

No espaço, os alunos experimentam trabalhos manuais com auxílio de ferramentas tradicionais (martelo, serra, pregos, furadeira) e apoio da tecnologia. Além disso, eles contam com estrutura para elaborar os projetos antes de colocarem a ‘mão na massa’. 

O hacklab da Escola Gracinha não conta apenas com ferramentas manuais. O laboratório é equipado com impressora 3D, computadores, cortadoras a laser, forno de cerâmica, entre outros. Todos esses equipamentos e maquinários ajudam a concretizar o projeto dos alunos, incentivando a criatividade. 

Projeto arquitetônico

O projeto arquitetônico do hacklab da Escola Nossa Senhora das Graças (Gracinha) foi desenvolvido e executado pela Húngaro Valente Arquitetura. A unidade de ensino recebe crianças e adolescentes de diversos níveis escolares e precisava de um laboratório de informática bem equipado e que atendesse as necessidades de cada turma. 

Visando a readequação do hacklab, a Húngaro Valente Arquitetura pensou em um espaço de tecnologia moderno e que abrigasse diferentes tipos de materiais e equipamentos. 

O projeto teve como objetivo ocupar o espaço de forma funcional. Por isso, foram criadas áreas multiuso e o laboratório de informática como apoio a sala maker. O espaço multiuso foi dividido com vidros, onde foram colocadas mesas e cadeiras para atividades individuais e mobiliário desenhado para usos variados, como o banco arredondado laranja e o módulo de leitura. 

Além disso, a Húngaro Valente criou com uma mesa coletiva e lousa, como apoio para as aulas de tecnologia.  Todo o espaço recebeu um projeto de iluminação com telas metálicas no forro e entradas de energia para celular, tablets e notebooks. Paredes e mobiliário receberam cores de forma que tornasse o ambiente agradável para as atividades pedagógicas.

Com o projeto finalizado, professores e estudantes desfrutam de um espaço moderno para desenvolverem projetos e discutirem sobre diversos temas ligados à tecnologia. 

O objetivo do projeto foi oferecer conforto, acolhimento e funcionalidade em um ambiente de aprendizado e criatividade. 

Sobre a Húngaro, Valente Arquitetura

O escritório Húngaro, Valente Arquitetura é uma empresa com duas décadas de atuação no mercado. Os projetos desenvolvidos pelo escritório sempre visam a funcionalidade e a racionalização. 

Nossos arquitetos são especializados em criar ambientes com técnicas e muita criatividade.  O processo é essencialmente colaborativo, sempre com a finalidade de produzir espaços funcionais.  Atuamos em diversas tipologias de projetos e escalas. Desde Edifícios Habitacionais, Galpões Industriais, Galerias, Edifícios Comerciais, Residências, Escritórios e claro nossa paixão, as escolas.

Quer saber mais sobre a Húngaro Arquitetura? Entre em contato com o nosso escritório e conte com profissionais altamente especializados em arquitetura moderna e funcional. 

Redação Húngaro Arquitetura

Comentários